Declarar imposto de renda 2020: como funciona?

O Imposto de Renda de Pessoa Física, ou simplesmente Imposto de Renda, é obrigatório para os cidadãos brasileiros que atendam a alguns critérios. Este imposto costuma ser alvo de muitas dúvidas e anseios, já que quem não fizer a declaração pode sofrer punições.

De forma sucinta, a declaração nada mais é do que uma lista dos bens adquiridos pelo indivíduo e que serão transformados em dados para que o governo calcule qual a tributação referente aqueles bens para que invista o imposto tributado no pais.

As pessoas que precisam declarar sua renda obrigatoriamente são os que se enquadram nos critérios abaixo:

  • Cidadão que arrecadou mais que R$28.559,70 em rendimentos tributáveis no ano – incluindo os bens como imóveis e veículos;
  • Cidadão que arrecadou acima de R$40.000,00 em bens não tributáveis durante o ano;
  • Cidadão que realizou operações em bolsa de valores, ou de mercadorias;
  • Cidadão que optou por isentar o imposto sobre a renda de vende de algum bem localizado em território nacional;
  • Teve ganhos de capital sobre a alienação de bens e direitos;
  • Cidadão que arrecadou mais de R$142.998,50 em renda bruta anual;
  • Cidadão que possui bens de valor superior ou igual a R$300 mil até o dia 31 de dezembro de 2019.

 

Imigrantes que se mudaram para o Brasil depois do dia 31 de dezembro de 2019 também estão sujeitos a fazer esta declaração se estiverem dentro dos critérios acima.

O que deve ser declarado?

Dentre os itens que devem constar na sua declaração, caso possua, estão:

  • Veículos e imóveis (independentemente do valor);
  • Bens móveis acima de R$ 5 mil (joias e obras de arte, por exemplo);
  • Bens e direitos recebidos de herança ou doações;
  • Bens comprados no exterior (como veículos e imóveis);
  • Contas correntes e aplicações financeiras, como poupança e aplicações em bolsas de valores, acima de R$ 140;
  • Quaisquer recebíveis que constituam créditos (cheques, por exemplo);
  • Dívidas e os ônus reais do declarante e seus dependentes, assim como os firmados e os extintos em 2018, acima de R$ 5 mil;
  • Ações e quotas de uma empresa, negociadas ou não em bolsa de valores, como ouro ou ativo financeiro, acima de R$ 1 mil.

Como fazer a declaração?

O primeiro passo para preencher a declaração é ter os documentos necessários consigo, como:

  • Extrato da renda (como holerite);
  • Benefícios, aposentadorias e pensões (neste caso podem ser debitadas no INSS);
  • Recibo de eventuais doações;
  • Documentos dos bens (como propriedades, veículos, empresas e outros);
  • Documentos de identificação (CPF, RG, dados da conta bancária e outros).

Se tiver todos estes dados, acesse o site oficial da Receita Federal pelo link http://receita.economia.gov.br/interface/cidadao/irpf/2019/download).

  1. No site, faça o download do programa para fazer a operação e instale em seu computador;
    Como fazer a declaração?Como fazer a declaração?
  2. Abra o programa e clique em “Criar nova declaração”;
    Como fazer a declaração?
  3. Selecione a opção “Declaração de Ajuste Anual” e preencha as informações;
  4. Depois disso, novas fichas serão abertas para preenchimento com seus dados;
  5. Na próxima tela, escolha a opção de desconto de 20% de dedução para rendimentos tributáveis ou a declaração completa, que permite todas as deduções legais;
    Como fazer a declaração?
  6. A próxima etapa é para inclusão de dependentes, como filhos, pais e conjugue;
  7. O passo seguinte é para adicionar dependentes para os quais há obrigação judicial de pagar pensão. Se não for o seu caso, apenas vá para a próxima página;
  8. Esta etapa é para inclusão dos rendimentos, no qual você deve adicionar seu informe de rendimentos retirado com a empresa até o ultimo dia de fevereiro. Se você possui mais de um emprego, basta clicar em inserir “novo”. Também é necessário incluir o rendimento dos dependentes, se houver.
  9. O próximo passo é para adicionar os rendimentos não tributáveis, aqueles dos quais não são cobrados impostos, como heranças e bolsas de estudos;
  10. A próxima tabela, de imposto retido, é preenchida de forma automática pelo sistema, mas é possível adicionar impostos pagos no exterior;
  11. No item pagamentos, o contribuindo deve adicionar seus gastos com saúde, educação, seguro, previdência e outros;
  12. A próxima etapa é para inclusão de bens como imóveis e veículos, mantendo o valor com o qual o bem foi adquirido;
  13. A última etapa é para revisão dos dados. Confira com cuidado!
  14. Se os dados estiverem corretos, basta finalizar e aguardar a confirmação de recebimento pelo e-mail.

Se estiver inseguro na hora de fazer a declaração, é possível contratar um especialista, como um contador, para fazer o processo por você. Isto diminui as chances de haver erros no processo.

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 5
Total de Votos: 3

Declarar imposto de renda 2020: como funciona?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *